Programa secreto do Google é revelado durante ação antitruste nos EUA

O “Projeto Bernanke” usava dados de lances de seu próprio sistema de publicidade digital para garantir uma vantagem competitiva injusta sobre seus rivais na venda de anúncios. O Google nega que usar essas informações para direcionar leilões seja impróprio. As informações são do The Wall Street Journal.

Centrífuga de enriquecimento de urânio no Irã explode após ataque cibernético

O país havia inaugurado a usina no dia anterior e não há indicações de vazamento de material radioativo. Fontes da inteligência israelense afirmam que o acidente foi causado por um ataque cibernético. Não seria a primeira vez que isso acontece: em 2010, o malware “Stuxnet” atingiu os sistemas de automação de processos eletromecânicos de outra usina de enriquecimento de urânio no Irã. As informações são do site The Register.

Pesquisadores recebem 200 mil dólares após hackear o Zoom

Dois pesquisadores de segurança holandeses participaram do concurso anual de hacking “Pwn2Own” e demonstraram uma falha de execução remota de código (RCE) no Zoom combinando três vulnerabilidades para assumir o controle de um computador da vítima, sem qualquer interação, a não ser atender a uma chamada. As informações são do blog da Malwarebytes Labs.

LinkedIn afirma que dados de 500 milhões de usuários vendidos em fórum hacker não são de vazamento

As informações como nomes completos, email, números de telefone e informações sobre o local de trabalho seriam na verdade uma agregação de dados de vários sites e empresas obtidos através de scraping. As informações são do site CyberNews.

Google atualiza algoritmo de Busca para dar preferência a reviews aprofundadas de produtos

Segundo o Google, o foco geral é fornecer conteúdo com análises criteriosas e pesquisas originais, escrito por especialistas ou entusiastas que conhecem bem o tópico. A atualização envolve apenas análises em inglês por enquanto. As informações são do Google Search Central Blog.

Polícia utiliza ferramenta israelense para recuperar mensagens de WhatsApp apagadas no caso do menino Henry Borel

A Polícia Civil do Rio de Janeiro afirma que o dispositivo da empresa Cellebrite proveu uma prova técnica extremamente relevante para o caso. A Cellebrite oferece produtos e serviços como desbloqueio de senhas de celular, acessos a logs de sistema, e recuperação de arquivos apagados e dados em aplicativos como WhatsApp, Telegram e Facebook. As informações são do Tecnoblog.

Newsletter

Assine nossa newsletter para receber atualizações! News Receber em HTML? E-mail cadastrado!
Joomla Extensions powered by Joobi